7 dicas para encaixar um curso rápido na rotina

Nem sempre é fácil encaixar os estudos na rotina, ainda mais se o dia parece precisar de, no mínimo, 12 horas a mais. Encaixar um curso rápido se torna uma alternativa mais acessível em meio a falta de tempo, seja ela levada pelo trabalho ou pelo tempo com a família.

Quer saber como fazer para encaixar um desses na sua rotina? Confira alguns passos que separamos para encontrar um tempo e fazer um curso rápido:

Entenda seus hábitos

Tente entender sua rotina e os horários que são favoráveis para encaixar o curso escolhido. Separe suas atividades diárias como aulas, refeições, trabalho, lazer, descanso e, dessa forma, calcule o tempo que terá para se dedicar ao curso. Lembre-se que para o êxito em um curso também é preciso recarregar as energias, então não deixe de realizar os momentos de pausa, aproveitar o relacionamento com a família e amigos e se divertir.

Defina seus horários 

De nada adianta encaixar um curso rápido na rotina sem respeitar um horário de dedicação integral a ele. Identificando as atividades que requerem parte do seu tempo ao longo do dia, é necessário reservar uma janela de tempo especialmente para ver o conteúdo da aula e organizar as anotações dos temas vistos. Para ajudar, indicamos os aplicativos ClearFocus e Todoist para aprimorar a gestão de tempo e criar lista de tarefas personalizadas.

Tenha um espaço e motivação

Para se sair bem no curso – e em qualquer outro – é preciso organizar também o ambiente em que se passa estudando. Muitas vezes parece mais proveitoso assistir às aulas ou ler conteúdos somente no caminho para casa. Ótimo, isso realmente não está errado (veja o item seguinte). Entretanto, definir um lugar para ver e rever os conteúdos, dando preferência a ambientes que instiguem o aprendizado com materiais de auxílio também favorece o melhor aproveitamento do curso. Lembrando que por ser um curso rápido, sua duração não vai afetar por muito tempo a rotina com a qual se está acostumado.

Faça um planejamento

Deu tudo certo, já conhece seus horários e conseguiu encaixar um curso rápido na rotina, mas ainda assim não deu tempo de ver o conteúdo por conta de imprevistos? Saiba avaliar com antecedência possíveis falhas no cronograma de estudos e use o tempo a seu favor. Sem nada para fazer no trajeto para casa? Leia o conteúdo. Sobrou alguns minutos após o almoço? Revise suas leituras. Terminou sua atividade de lazer antes do esperado? Procure por materiais de apoio, como vídeos. Assim, no momento em que sentar para centrar a atenção no curso, estará tudo pronto para entender a matéria.

Não se sabote

Muitas vezes, ao achar que o planejamento é uma estratégia infalível, as pessoas tendem a fazer mudanças ou pensar que podem deixar de estudar hoje e estudar o dobro amanhã. O problema aparece quando o tempo passado adiante nunca é suficiente e os conteúdos, inclusive de um curso rápido, passam a se transformar em uma montanha de coisas para se fazer. Novamente, avalie sua rotina e finalize de uma vez tudo que tem a fazer. Você perceberá que até a qualidade do aprendizado e os resultados serão bem melhores.

Use a tecnologia a seu favor 

Uma grande vantagem de cursos rápidos são a acessibilidade de serem acompanhados online. Mas o uso da tecnologia não para por aí. Existem ferramentas que impulsionam o conhecimento e alguns exemplos são podcasts, videocasts, chats, aplicativos, enciclopédias, bancos de dados e dicionários online, fóruns e até mesmo as redes sociais. Use-as no tempo livre para se comunicar com professores e outros estudantes, além de encontrar novos materiais e abordagens sobre os temas estudados.

Conclua para depois prosseguir

A ideia de não ser extenso pode fazer com que você queira incluir mais de um curso rápido na rotina. Isso, de maneira alguma, é ruim, desde que a tomada por dois ou mais cursos não se torne uma tarefa onerosa e deixe de agregar potencial a sua carreira e currículo. Muitas vezes é melhor fazer uma coisa bem-feita do que muitas coisas com qualidade mediana.

Gostou das dicas? Conheça os cursos rápidos online da plataforma Solution. Clique aqui.

Saiba também quais são as 5 vantagens de fazer um curso online.

5 dicas para se tornar um líder melhor

A gestão de pessoas envolve uma série de competências técnicas e comportamentais capazes de mobilizar equipes para o alcance de metas. Entretanto, atingir resultados através das pessoas é consequência de todo o trabalho consistente realizado por um líder durante um período.

Para se tornar um bom líder não existe fórmula mágica. É o que explica a professora do curso de Liderança e Líder Coach da plataforma Solution Denise de Moura. “Em primeiro lugar a pessoa precisa estar disposta a aceitar o desafio. Desafio este, extremamente árduo, que requer fazer com maestria uma eficaz gestão de pessoas e, através destas pessoas, apresentar os resultados esperados”, conta.

Bons líderes conseguem com eficácia fazer a gestão de equipes virtuais e globais, o que tem se tornado comum com os rápidos avanços tecnológicos. Um líder pode gerenciar equipes em que cada pessoa se encontra em um determinado lugar ou país e possui culturas totalmente diferentes.

Mas afinal, o que fazem os verdadeiros líderes? Separamos 5 dicas que podem ajudar a entender o caminho para se tornar um líder melhor.

Lidere pelo exemplo

O seu discurso é igual a prática. Eles são íntegros, honestos e verdadeiros em suas palavras e atitudes. Com este comportamento consistente eles ganham a confiança da equipe. “Como abordo no curso Liderança e Líder Coach, cargos de liderança nas organizações são transitórios. É fundamental ser a melhor pessoa em todos os momentos e lugares. E isto envolve também ser justo. Bons líderes reconhecem seus funcionários pela competência e não por afinidade”, explica Denise.

Tenha foco

Bons líderes têm uma visão de futuro clara e sabem onde desejam chegar. Mas como é inviável realizar um grande sonho sozinho, os verdadeiros líderes conseguem mobilizar suas equipes para o atingimento desta visão. “No curso Liderança e Líder Coach menciono como um líder consegue este poder de mobilização, mas de antemão ele deve dar abertura para que as pessoas possam contribuir com ideias e sugestões, compartilhando pontos de vistas diferentes.”

Seja humilde 

Outro ponto fundamental levantado pela professora para ser um líder melhor é trabalhar a humildade. “E esta característica envolve um alto grau de autoconhecimento. Ele sabe que algumas das suas decisões podem não ser as mais assertivas e se responsabiliza pelos erros que por ventura venha a cometer”, explica. Além disso, continua Denise, um bom líder reconhece os pontos fortes dos seus funcionários sem se sentir ameaçado.

Saiba compartilhar

Excelentes líderes também são excelentes professores, isto é, têm um interesse genuíno por ensinar e compartilhar os seus conhecimentos, além de serem abertos para novas aprendizagens. “Eles sabem que estão no caminho certo e se sentem extremamente motivados quando olham para um funcionário, que no início apresentava grandes dificuldades, e conseguem dizer: “o discípulo superou o mestre”. Eles realmente querem fazer a diferença na vida das pessoas. O líder coach faz exatamente isso, pois contribui para que seus funcionários encontrem as soluções dos problemas, potencializando competências que nem eles sabiam que possuíam.”

Gerencie conflitos

Não tão menos importante, a professora destaca que bons líderes são excelentes negociadores e sabem gerenciar conflitos. Por terem bem desenvolvidas algumas competências como a escuta ativa e a inteligência emocional, eles conseguem dar um feedback honesto e tratam conflitos da sua equipe de forma imparcial. “No curso são apresentadas algumas situações de conflitos comumente encontradas em ambientes corporativos e como o líder pode tratá-las de forma efetiva”, afirma.

Gostou das dicas? Denise de Moura é professora do curso online Liderança e Líder Coach da plataforma Solution. Conheça o curso.

Por que é importante investir em tecnologia na pecuária de corte?

A produção pecuária – principalmente de carne bovina – aumenta a cada ano e a demanda por esse tipo de alimento também. Um dos desafios atuais é o espaço físico para a criação de gado e o Brasil é um dos países que possui áreas.

No entanto, para que a produção seja suficiente e proporcional ao aumento de demanda, é necessário investimento em tecnologias. O professor do curso de Gestão e Custos da Cadeia de Pecuária de Corte da Solution, Thiago Bernardino de Carvalho, explicou que hoje geralmente só as grandes empresas investem em inovação.

“Os pecuaristas sabem que têm ferramentas disponíveis para fazer uso da tecnologia e aumentar a produtividade, mas ainda está aquém do observado em várias partes do mundo”, afirma.

Mesmo que seja ainda pouco investimento para as tecnologias, Carvalho explicou que o país passa por uma transformação no segmento e favorece a inovação. “Quem fizer mais do mesmo vai sair do setor”, acrescenta.

Como um dos maiores produtores de carne bovina, o Brasil é responsável por alimentar boa parte da população mundial. Esse setor emprega cerca de 7 milhões de pessoas e representa uma fatia importante de toda a produção agropecuária no país.

Inovação

As tecnologias desenvolvidas para a pecuária de corte são para as mais diversas funções. A maioria envolve o cuidado com a saúde do gado, desde a quantidade de moscas em volta até a temperatura corporal, uso de drones para monitoramento aéreo e balanças de pesagem de última geração.

No entanto, existem vários tipos de equipamentos mais simples e complexos para produtores de grandes e pequenas escalas. “A tecnologia está disseminada, existe para todos os níveis”, completa Carvalho.

Mesmo que as grandes empresas sejam pioneiras no uso de tecnologias mais complexas, há espaço para os pequenos produtores investirem também e garantirem um crescimento. Assim, a produtividade aumenta e os desafios de produção de carne bovina são superados.

Gostou do tema? O curso de Gestão e Custos da Cadeia de Pecuária de Corte da Solution está com inscrições abertas. Acesse aqui.

5 dicas de neurociência para melhorar seu desempenho nos estudos

Estudar é muito mais do que apenas assistir a uma aula ou ler um conteúdo de forma ‘mecânica’. É preciso ter concentração para aprender e poder aplicar o conhecimento ao seu dia a dia. O Solution separou cinco dicas da neurociência que vão melhorar seu desempenho nos estudos.

1 – Faça mapas mentais

Fazer registros no papel é uma ótima estratégia e essa regra vale para qualquer assunto, mas principalmente para os temas que você tem mais dificuldade. A associação de palavras orienta seu cérebro para o registro, o conceito fica gravado mais facilmente, reforça a professora Fátima Jinnyat, pesquisadora de neurociência com foco comportamental. Desenhar é ainda melhor. “Mapas mentais nada mais são do que a reprodução das informações que estão no cérebro organizadas no papel como mapas”, diz Fátima. O conceito foi bastante trabalhado por Tony Buzan, autor do livro “Mapas Mentais e Sua Elaboração”. Segundo Fátima, anotar ou fazer desenhos faz com que o cérebro dê prioridade ao que está sendo ouvido. Sem registro, seu cérebro vai deixar coisas escapar e ficam só as que fizerem mais sentido para você naquele momento ou com as quais você concorda.

2 – Tenha foco

Parece óbvio, mas não é raro encontrar quem estude “grudado” ao celular ou com a televisão ligada, por exemplo. “A maioria da sociedade diz que o cérebro pode fazer muita coisa ao mesmo tempo, mas atenção em 1º grau é uma só”, explica a professora. Ela cita que o cérebro dá, sim, prioridade a uma das tarefas e que, também por isso, temos a sensação de estarmos ficando mais esquecidos. “O que te tira a atenção deve ser deixado de lado. Não adianta estudar com o WhatsApp aberto no celular, mexendo nas redes sociais. Tudo o que vai tirar sua atenção, vai te prejudicar”, afirma Fátima.

3 – Fique no ‘modo pausa’

A retenção do estudo é muito mais positiva quando você está centrado, sem pressa de fazer outra coisa ou com medo, ansioso por uma futura prova ou algo relacionado. “Fique no modo pausa. É muito difícil, mas muitos conseguem e a retenção do estudo é muito mais positiva. Se você estuda com vontade de que aquilo acabe logo, pensando em outras coisas, o resultado não é bom. Um pouco de meditação antes, parar e respirar, se acalmar, são coisas importantes. As ideias fluem de maneira muito mais criativa”, informa Fátima.

A ansiedade e o medo também fazem com que haja liberação de cortisol (conhecido como hormônio do estresse), o que prejudica o aprendizado e pode provocar aqueles famosos “brancos” na hora de uma prova.

4 – Pense nas ‘recompensas’

O cérebro gosta de recompensas e quando você estuda focando nos benefícios futuros, os resultados são melhores. Pensar que você está abrindo mão de algo em prol do estudo é algo negativo. “É pensar positivo no sentido de que você está tendo uma renúncia imediata, mas terá uma recompensa lá na frente”, cita a professora.

É preciso aprender que a renúncia não é um sacrifício, toda escolha na vida implica em uma renúncia a outra, reforça a profissional. Aprenda, então, a focar no que é bom: sejam férias, carreira bacana ou mesmo reconhecimento no trabalho.

5 – Respeite-se

Estudar de manhã ou à noite pode ser bom ou ruim conforme seu relógio biológico. Respeitá-lo é importante para um melhor desempenho nos estudos. “Você se obrigar a estudar pela manhã sendo uma pessoa com hábitos noturnos não será a melhor opção”, diz Fátima. Outra recomendação da professora é definir o seu melhor método para estudar. “É preciso entender como você funciona e respeitar isso. Não há uma ‘receita de bolo’ para o sucesso”, diz. As dicas ajudam, mas também há tentativas e erros até acertar o que é mais produtivo para você, reforça a profissional.

Gostou do assunto? Compartilhe com seus amigos!

Por que internacionalizar o seu negócio?

A globalização do mercado já é uma realidade para muitas empresas. Nesse cenário, internacionalizar uma marca no mercado demonstra maior notoriedade no consumo externo, além de vantagens na corrida entre a concorrência interna.

Conforme observa José Manuel Baptista Meireles, professor coordenador do curso de Segurança e Rentabilidade no Comércio Internacional da plataforma Solution, posicionar um negócio no comércio exterior requer maturidade de análise, pois, em meio a tabus do empresariado brasileiro, algumas atitudes colocam apenas o lucro e receio de falha em primeiro lugar, gerando caminhos para o insucesso.

“O que se passa hoje é que devemos encontrar solução para crescimento do país. É unânime que precisamos internacionalizar mais nossos negócios, a par que o Brasil já está presente com seus produtos no exterior, mas isso representa apenas 1% de todo comércio e no valor estão incluídos como maioria as commodities agrícolas”, conta.

Segurança

Meireles destaca que os preços competitivos, quantidades e escala de produtos e, sobretudo, a abertura para absorver o conhecimento no exterior podem facilitar uma imagem positiva da empresa dentro e fora do Brasil.

“Produtos em vitrines e lojas naturalmente terão um ganho superior porque sua imagem fica destacada internamente. É o exemplo de marcas que chegam às ruas de Miami e logo são facilmente reconhecidas pelo público. Logicamente, ao se estudar um meio de internacionalizar um negócio, procuramos mostrar de alguma forma logística sobre a segurança da parte financeira, respeito a cultura e, especialmente, formas que otimizem o desenvolvimento do negócio.”

Questão cultural

No entanto, ao internacionalizar um negócio o empresário expõe-se a questões regionais que podem trazer certas dificuldades de aceitação do público. “Vale lembrar que as empresas têm alguns problemas quando iniciam essa caminhada para o mercado exterior por conta de particularidades culturais ou costumes.”

Segundo o professor, até mesmo essas condições podem ser superadas conforme o empresário se familiariza com o local escolhido para se estabelecer e internacionalizar, além de colocar a seu favor uma boa consultoria de condução do negócio.

“Um curso de Comércio Internacional ajuda a mostrar como o trabalho no exterior não é tão diferente do mercado interno e, na maioria das vezes, é mais seguro e pode trazer desenvolvimento para a empresa”, explica.

Saber usar melhor os recursos e reconhecer o próprio potencial interno, uma vez que o país é visto de forma carismática, também é uma etapa no processo de destaque no estrangeiro. “O Brasil é um país majoritariamente de pequenas e médias empresas. São essas que merecem grande atenção afim de garantir o sucesso já que o empreendedor, por não conhecer sua competição de fora, tem receio de se lançar ao desafio de internacionalizar o negócio”, finaliza Meireles.

Quer internacionalizar seu negócio? Conheça o curso online Segurança e Rentabilidade no Comércio Internacional.

Saiba também por que internacionalizar a empresa é bom para o microempreendedor.

5 funcionalidades do MS Project

Executar um projeto é dedicar um esforço temporário na criação de um produto, serviço ou resultado específico. No entanto, o senso comum leva a crer que a estratégia, assim como suas ferramentas, serve apenas para gestores de projeto. É o caso do MS Project, software produzido pela Microsoft, que tem a funcionalidade de otimizar o gerenciamento de projetos de qualquer área.

“Engenheiros, tecnólogos e administradores que trabalham com projetos que têm o conceito principal de apresentar ao final um resultado, um produto ou um serviço com data de início e término determinados, assim como consumo de recursos e pessoas, podem se beneficiar desse recurso. Esses são os conceitos básicos e mostram que não somente um gerente tem o compromisso de entrega dos objetivos e a garantia do sucesso do planejamento”, explica o professor do curso online MS Project da plataforma Solution, Carlos Roberto Campos.

Confira as 5 funcionalidades do MS Project elencadas pelo professor:

Planejamento e controle de prazos

O projeto é um conjunto de atividades de dependência lógica que, se bem elaboradas e planejadas, podem oferecer todo o prazo para realização do projeto. “Fazer isso sem o software, hoje em dia, até mesmo em projetos simples como a reforma de uma sala, pode ser uma tarefa difícil”, conta.

Gerenciamento de recursos

Todo projeto demanda recursos, sendo eles mão de obra e materiais que serão consumidos em cada atividade, por exemplo. Campos ressalta que estar dentro do orçamento, controlar e avaliar são garantias do software para tarefas dentro do projeto. Um exemplo se aplica a pintura da parede, em que o programa poderá calcular os valores e a mão de obra por valor/hora em uma única tarefa.

Gerenciamento múltiplo

Para pessoas que trabalham com o gerenciamento de múltiplos projetos, desde os simples aos mais complexos, que demandam prazo, andamento e custos diferentes, o software permite trabalhar com o conceito de múltiplos projetos de maneira mais fácil que o controle do Excel, que possui limitações próprias da planilha.

Visualização do caminho crítico

Quando se faz encadeamento de todas as atividades e a construção lógica de um projeto o programa poderá mostrar caminhos críticos. “Dentro de todas as atividades que existem em um projeto, temos aquelas que não têm folga pois são atividades críticas. Se ocorrer um atraso de um dia nela, todo o projeto terá atraso de um dia na entrega. Já com o MS Project podemos visualizar como fazer uma otimização dos recursos, colocando mais pessoas para trabalhar na atividade e reduzindo o caminho crítico. O software vai permitir a quem tem o conhecimento da ferramenta otimizar os recursos para se concentrar naqueles que realmente precisam de mais atenção”, conta Campos.

Relatórios integrados

A versão 2016 do software disponibiliza relatórios integrados na própria ferramenta. Para o gestor, isso significa ter todo o controle de custo, orçamento, esforço e desempenho de atividade de forma organizada sem perder o histórico das ações. A partir do momento que as informações do projeto são atualizadas, os relatórios são automaticamente atualizados e mostram a realidade do andamento de todo o plano, inclusive suas necessidades.

O curso online MS Project da plataforma Solution apresenta as principais funcionalidades do Microsoft Project 2016 através de uma metodologia “hands on”, no qual o aluno aprende em 80% do tempo na própria ferramenta. Quer saber mais sobre o curso? Clique aqui.

Veja também quais as vantagens do MS Project.

Entenda os fatores que influenciam a gestão de custos no mercado de grãos

Estar atento à realidade do mercado e aos fatores que podem o influenciar são fundamentais para uma melhor gestão dos negócios. Essa dinâmica inclui identificar onde é possível ou necessário reduzir custos e quais são as possibilidades de futuros investimentos, otimizando a produtividade, por exemplo. Esses aspectos são compreendidos no curso Gestão de Custos no Mercado de Grãos, oferecido pelo Solution.

“A proposta é que o aluno tenha um grande overview (visão geral) sobre o panorama do mercado em geral. Embora o foco seja grão, com ênfase para milho e soja, há técnicas, instrumentos e análises para outras commodities”, explica Haroldo Torres, professor do curso.

No primeiro módulo, o aluno terá contato com os fundamentos da oferta e demanda no mercado de grãos, como se dá a formação de preços nesse mercado, quais as projeções futuras para o setor, entre outros pontos.

Torres cita que, embora o Brasil seja um dos grandes produtores de soja e milho do mundo, ainda é “tomador de preço”. Neste sentido, há aulas específicas sobre o assunto e como podem ser utilizados mecanismos de proteção de preços e instrumentos de comercialização.

“Entendido o mercado, entendida a questão de preços, há um módulo específico sobre custo, onde o aluno poderá compreender melhor a visão do custo no Brasil e no mundo”, afirma. E, por fim, como utilizar toda essa ferramenta e gerar uma análise de viabilidade econômica.

“Não é um curso técnico, ele é muito mais para capacitação na área de gestão, que é o maior desafio do produtor hoje. Ele tem um excelente nível de capacitação técnica, usa tecnologia das mais avançadas possíveis, mas ainda carece de gestão, ou seja, em termos de administração de propriedade, em termos de indicadores econômico-financeiros para a tomada de decisões. A proposta é fortalecê-lo”, diz.

Gestão que reduz custos

Uma gestão adequada, baseada em análises de dados, pode reduzir – e muito – os custos de produção. “Não é possível precisar um percentual de redução, ele pode ser de 50%, depende de cada situação. O que acontece é que o produtor ainda hoje toma decisões baseadas no ‘feeling’, no sentimento de ‘eu tenho oportunidade de melhoria’, mas sem indicadores palpáveis que baseiem sua decisão”, comenta.

Torres ressalta que o curso é uma ferramenta de capacitação, para que o produtor possa olhar preço e se precaver, por exemplo.

Ele exemplifica que um sinônimo de que o produtor não olhou para preço na safra passada foi o ‘boom’ de silos-bolsa, que mais que dobrou – e isso gera um efeito de armazenagem enorme e armazenamento é capital de giro parado, lembra o professor.

“A proposta do curso é que o aluno tenha instrumentos que hoje talvez não esteja sendo olhado com tanta atenção, que é principalmente o pós-porteira – que é comercialização e entender o mercado”, diz. “E, dentro da porteira, é olhar com visão mais estratégica sobre onde há oportunidade de redução de custo e oportunidade de novos investimentos para incremento de produtividade.”

Quer saber mais sobre agronegócio? Entenda o uso de derivativos para proteção de preços.

5 vantagens de fazer um curso online

Os cursos EAD (ensino a distância) são uma ótima oportunidade para qualificação e capacitação profissional. A facilidade de acesso e a flexibilidade de horários são algumas das vantagens dessa modalidade de ensino, que vem crescendo cada vez mais no país.

Confira cinco vantagens de fazer um curso online:

Flexibilidade de horários

Poder montar seus próprios horários de estudo é um dos grandes benefícios do ensino a distância. Você pode acessar o conteúdo dos cursos na hora que preferir. A plataforma funciona 24 horas por dia, diferente do ensino tradicional, que segue uma grade fixa e com horários delimitados. Com essa flexibilidade, sua rotina não precisa ser determinada com base nos estudos. Você reserva o tempo que acha necessário para estudar na hora que for mais conveniente.

Acesso facilitado ao conteúdo

Os cursos estão em uma plataforma disponível o tempo todo. Com isso, você pode acessar o material de qualquer lugar com acesso à internet: sua casa, uma biblioteca ou até mesmo um café. Essa facilidade permite inclusive um rendimento melhor nos estudos, já que você fica mais confortável para estudar.

Aprendizado

Você nem sempre consegue comparecer a uma aula presencial. Além disso, há vezes em que o entendimento fica prejudicado por perder a aula, que terá de ser recuperada de alguma forma posteriormente. Nos cursos online, isso não acontece: você não perde aulas e ainda pode repeti-las se sentir necessidade. Há ainda possibilidade de interação com os participantes do fórum, que promove debates dos temas por mais tempo.

Otimização do tempo

Perder horas no deslocamento entre trabalho ou casa e o local de estudos não existe para quem opta por um curso online. O tempo necessário para o deslocamento pode ser aproveitado para acelerar os estudos, o que também é possível na modalidade EAD. Você cursa os módulos no seu ritmo, respeitados os prazos para conclusão geral.

Melhor custo/benefício

Os cursos online oferecem ótimo custo-benefício, sendo em geral mais acessíveis que os cursos presenciais e com possibilidade de aprendizagem com os melhores professores das áreas. Os cursos online Solution oferecem certificação.

Ficou interessado? Conheça melhor nossos cursos aqui.

Soluções de custos na produção de cana são apresentados em curso

Ter bem alinhado os custos de produção no setor sucroenergético no Brasil é fundamental em uma boa gestão. Para realizar bons negócios, por exemplo, são necessárias noções básicas sobre matemática financeira, engenharia econômica, além de uma sistemática bem aplicada.

Os apontamentos são dos professores do curso Gestão de Custos Sucroenergéticos da Solution, João Rosa e Haroldo Torres, dois profissionais com ampla experiencia no setor de cana de açúcar. De acordo com os docentes, por causa da dificuldade no controle de custos e um cenário de grande competitividade, é indicado que o produtor se atualize regularmente.

“Se olharmos para o mercado, principalmente para os produtores, posso falar com uma certa segurança que 80% ou 90% acabam não controlando os custos. Isso é resultado de uma carência na questão de informações”, afirma Rosa.

Segundo o professor, ao fazer o curso online da Solution, o aluno terá disponível uma feramenta que pode auxiliar na tomada de decisão. “Além de passarmos conceitos de custo de produção e ferramentas, também vamos passar valores de referências da área de Projetos do Pecege, que são extremamente atualizados. O levantamento é um dos mais respeitados do mercado referente a última safra”, ressalta.

CONCEITOS

Para Torres, o curso trabalha definições de finanças fundamentais para as produções da cultura de cana de açúcar. “A ideia é o que o aluno tenha uma visão inicial sobre matemática financeira e engenharia econômica, ou seja, os conceitos financeiros essências para efeito de cálculo de custo da produção “, fala.

Na segunda parte do conteúdo, os professores discutem como calcular os custos e quais são as principais variáveis envolvidas. Tudo isso de uma forma prática e aplicável.

O curso, que está disponível na plataforma online, é indicado para negociadores, agentes econômicos envolvidos na cadeia sucroenergética, produtores, fornecedores e pessoas que trabalham na controladoria das usinas.

“É importante que ele seja um produtor ou uma usina que tenha liderança de custo e para isso, é preciso saber calcular, analisar e comparar. É isso que o curso pretende fornecer”, ressalta Haroldo.

Quer saber mais sobre o curso Gestão de Custos Sucroenergéticos? Clique aqui.