liderança deve ser mais humana

Muitas são as competências atribuídas a alguém que desempenhará um papel de liderança. Falar sobre o líder do futuro entra nessa questão, uma vez que a imagem de um chefe autoritário não pode estar relacionada a imagem de um cargo de liderança.

Um líder do futuro consegue absorver as mudanças e implantar elas para que se adaptem a seus liderados. Exige responsabilidade, sensibilidade e, principalmente, humanidade, uma vez que estamos falando de trabalhar guiando outras pessoas.

Para Denise de Moura, professora do curso de Liderança e Líder Coach da Plataforma Solution, as inúmeras transformações, sobretudo tecnológicas, têm modificado consideravelmente as relações interpessoais dentro das organizações.

“Como tudo tem ocorrido de forma muito rápida, fica difícil prever exatamente como será o futuro. Uma coisa é certa. Independente se vamos trabalhar em casa, de forma virtual, em formato coworking, sempre haverá espaço para uma liderança capaz de engajar e manter o comprometimento da sua equipe elevada. Para isso, algumas competências tornam-se essenciais”, explica.

Líder do futuro, só que agora

Segundo Denise, é importante mencionar que falar sobre a humanização da gestão não significa esperar que um líder seja amigo ou que almoce todos os dias com a sua equipe, por exemplo. “Pensando que há pessoas que são lideradas por gestores de outros países (equipes globais), um chefe ‘amigo’ não as ajudará em seus resultados”, exemplifica.

Para as equipes que desejam uma gestão justa e eficaz, ela envolverá alguns comportamentos importantes que todo gestor precisará desenvolver ou aprimorar.

“Mais do que um amigo, as pessoas querem um parceiro de trabalho, um facilitador”, comenta a professora.

Competências

Se ainda assim a imagem de um líder do futuro – e mais humano – levantar dúvidas, Denise separa alguns dos comportamentos que deverão ser adotados ou aprimorados por esse “facilitador”. São esses:

  • Proporcionar desafios e metas para todos da equipe e acompanhar os resultados individuais e em grupo;
  • Capacitar e desenvolver os integrantes da sua equipe continuamente, para que consigam realizar suas atividades com segurança e confiança, superando obstáculos e se tornando um profissional melhor a cada dia;
  • Ser justo e íntegro com todos da equipe, reconhecendo os esforços individuais e promovendo as pessoas pelos resultados que entregam e não por afinidades;
  • Respeitar a sua equipe, dando feedbacks honestos que visem o aprimoramento profissional;
  • Dar autonomia e acompanhar os resultados. Delegar é diferente de “delargar”. Delegar envolve passar uma responsabilidade para um integrante da equipe, mas fazer acompanhamentos periódicos das entregas;
  • Promover o espírito de equipe em seu grupo, mediando conflitos não funcionais (atrapalham o desempenho), trabalhando as diferenças culturais que venham a surgir e estimulando pontos de vista diferentes.

Por fim, a professora explica que o líder do futuro será um gestor que conheça com profundidade cada integrante da sua equipe, independentemente do cargo que eles ocupam. “Apesar da distância, consiga engajá-los continuamente, através do seu comportamento ético e justo. O líder do futuro será um verdadeiro parceiro de trabalho”, pontua.

Você reconhece as habilidades do líder do futuro? Saiba também como identificar um líder tóxico.

  • curso de liderança e líder coach
  • futuro da liderança
  • líder humano
  • liderança