7 Mandamentos de Visualização de Dados

Blog

Os olhos humanos são atraídos por padrões e cores. Para a visualização de dados, isso é essencial para captar a atenção e transmitir informações por meio de representações gráficas, como diagramas, gráficos, tabelas e até mapas.

Assim como as áreas das ciências, tecnologia, engenharia e matemática, a visualização de dados pode estar presente também em finanças, marketing, história, bens de consumo, setores de serviços, educação, esportes etc.

Dentro do universo do Big Data, essa ferramenta auxilia principalmente a análise de grandes quantidades de informações necessárias para a tomada de decisões. É uma maneira de tornar mais acessíveis os elementos que em algum momento foram complexos.

Como a visualização de dados tem o objetivo de otimizar a comunicação de informações, é preciso conhecer as boas práticas que a tornam mais efetiva. Dessa forma, dados mais relevantes podem ser inseridos em contextos específicos, seja para fundamentar uma proposta ou tomar novos caminhos em uma estratégia, por exemplo.

 

Conheça agora os sete mandamentos da visualização de dados. 

 Use grafismo da forma certa

Propostas distintas pedem uma visualização de dados que acompanhe, da mesma forma, sua finalidade. Para cada tipo de informação é preciso delegar qual representação poderá explicar melhor um conjunto de dados.

Para isso, basta lembrar que tabelas cumprem bem a função de exibir valores precisos, enquanto gráficos servem para exibir informações percentuais, expor padrões de dados em perspectiva temporal e de progressão, relacionando-os com outros indicadores.

 

Agrupe dados corretamente

A visualização de dados demanda sempre o agrupamento das informações em uma apresentação, mas isso deve ser feito com atenção. Usar formas geométricas diferentes, mas que compreendam vários grupos de dados, é uma das técnicas mais usadas para esse objetivo.

Outra maneira de destacar a apresentação e guiar o público no percurso da leitura de informações é utilizando setas, que servirão também para dar ênfase em determinados dados ou grupos deles.

 

Não esqueça do contexto

É importante fornecer contexto para permitir que o usuário da apresentação consiga formar argumentos em cima dos dados exibidos. O design entra em campo para criar elementos visuais que abasteçam a apresentação de indicações intuitivas.

Um trabalho com o design adequado consegue contar uma história ao leitor. Junto a isso, é possível utilizar também uma narrativa que acompanhe a ilustração das informações que são distribuídas ao público.

 

Escolha as cores certeiras

Por aqui já falamos sobre as cores e sua psicologia. Elas são importantes na visualização de dados por darem ênfase a elementos-chave da apresentação. Além disso, podem reforçar significados, o que requer uma escolha apurada do conjunto.

A máxima é sempre prezar por aquelas que não ofusquem as informações e possibilitem uma leitura fluida, que não canse a vista. As cores podem otimizar a legibilidade e a projeção de informações, aumentando a velocidade e compreensão do que é lido.

 

Alie interatividade com design sensorial

Uma apresentação atrativa pode melhorar com o uso de recursos de interatividade, sempre tomando cuidado com os excessos. Portanto, na hora de projetar uma visualização de dados, identifique quais detalhes sensoriais precisam de um destaque.

Ter vários formatos de visual ajuda no momento de eleger o ideal para a apresentação. E nem sempre é necessário usar esses elementos de forma muito sofisticada. O principal objetivo de uma apresentação deve ser entregar a informação de forma mais fácil, portanto, objetividade tem que estar alinhada a qualquer prática sensorial.

 

Dedique atenção aos títulos

Dentro do contexto geral das informações, o título de um elemento visual precisa ser bastante explicativo e receber um destaque especial, como uma manchete de jornal. Dessa forma, é possível determinar com clareza qual é o objetivo da apresentação.

Além de ser bem pensado, outros tipos de realce de um título dentro da visualização de dados são as fontes em bold (ou negrito), que acompanham a relevância da informação em relação ao restante da página sem exagerar na aparência da análise.

 

Aproveite bem os espaços

Relatórios de visualização de dados precisam de um bom uso do espaço. Portanto, é interessante aplicar a técnica da proporção criada por Edward Tufte, que minimiza as marcas dos elementos visuais sem comprometer a leitura.

Reavaliar dimensão de títulos, rótulos, gráficos, tabelas e legendas é uma ótima opção para aproveitar o espaço disponível. Junto a isso, pensar em uma quantidade limitada de cores e tamanhos de fontes pode evitar que a apresentação fique carregada e confusa.

Não menos importante, saber ler dados é a principal, senão mais importante, forma de montar uma apresentação estratégica.

 

Se interessou pelo tema? O curso de Data Visualization oferece noções importantes sobre design e storytelling, com exemplos práticos e de fácil entendimento.

 

 

 

Comentários
Nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar. Escreva seu comentário abaixo e contribua com a geração do conhecimento peça a peça.
Entrar para comentar

Você gostou deste conteúdo?