Competências do profissional de inteligência de mercado

Artigo

Edson Barbero 

A profissão de inteligência de mercado está em crescimento. As empresas necessitam de profissionais que apoiem a tomada de decisão neste contexto de incertezas, volatilidade, complexidade e ambiguidade que grande parte das organizações de mercado atualmente vive. Tais profissionais precisam aprimorar o processo de decisão empresarial aplicando métodos de coleta, análises e disseminação de informações por meio de uma atitude que privilegie a compreensão dos movimentos econômicos, setoriais, sociais e de mercado. Tudo isto para que a empresa aumente sua vantagem competitiva sempre de modo ético.

Apesar do perigo do desemprego atualmente presente em nossa sociedade e economia, os profissionais de inteligência de mercado habilitados nos processos de negócios, tecnológicos e processuais têm bastante oportunidade de colocação profissional, inclusive oportunidades no desenvolvimento de negócios, pois, por exemplo, há muitas startups focadas em desenvolver softwares e entre outros itens, que aprimoram o processo de tomada de decisões. Há também grandes tendências do universo da tecnologia, como big data, inteligência artificial, entre outras que atribuem aos profissionais de inteligência de mercado grande perspectiva futura em suas carreiras.

Mas, especificamente, quais seriam as competências necessárias para o profissional de inteligência de mercado? Apesar da supracitada compreensão de tecnologias, não é apenas a facilidade de entender bits and bites que é requerida a estes profissionais. É necessário, em nosso entendimento, quatro blocos principais de competências:

§  capacidade analítica e de comunicação

§  visão aguçada e empreendedora dos negócios

§  repertório conceitual e cultural geral

§  facilidade de uso e compreensão de novas tecnologias     

No que tange à capacidade analítica e de comunicação, espera-se que o profissional seja curioso, sempre ávido a aprender, busque conhecimento, faça leituras acerca de temas da realidade empresarial e corporativa e seja capaz de estruturar seu raciocínio diante de situações com complexidade elevada e possa pensar nas diferentes variáveis de modo abstrato.

Este profissional precisa desenvolver uma espécie de “visão aguçada” dos negócios, isto é, capacidade ímpar de analisar os fatos e não paralisar perante os mesmos, buscando síntese de conteúdo, insights e direcionamento para tomada de decisão e visão de resultados. É um indivíduo que colabora no trabalho em equipe articulando a inteligência não apenas sua, mas de todos a sua volta. Não possui, portanto, um comportamento individualista, pelo contrário, é aquele que colabora de maneira presente com as diferentes competências da organização, fazendo interfaces com diferentes departamentos sempre na busca dos melhores resultados para a empresa e para os diferentes stakeholders.

Este profissional deve compreender o processo decisório da empresa de modo que se entenda como os principais decisores agem. É capaz de assimilar o fluxo da informação; como ele acontece e como deveria ser. Compreende também a economia como um todo e as nuances específicas do mercado onde atua, porque os diferentes ramos empresariais possuem especificidades e características próprias. Por exemplo, há setores mais regulados, outros menos regulados, alguns cujo principal conhecimento a ser obtido refere-se ao comportamento de seus clientes, enquanto em outros é preciso analisar e entender uma cadeia de valor mais ampla.

O profissional deve ter conhecimento sobre quais ferramentas que podem ser adotadas com o objetivo de agregar mais valor ao processo decisório, ou seja, qual melhor tecnologia deve ser utilizada. Evidentemente, o profissional de inteligência de mercado, deve estar atualizado no que diz respeito às diferentes possibilidades tecnológicas. Atualmente, por exemplo, seria pré-requisito importante compreender como a inteligência artificial agregaria valor ao processo de tomada de decisão. Este deve ser profissional apto a utilizar ferramentas analíticas, inclusive estatísticas, para analisar e extrair dados que se transformem em informação importante ao seu trabalho. Além disso, é um profissional que aplica ferramentas, tais como mapas mentais, design thinking, matrizes analíticas, correlações multivariadas, entre outros. Não basta, portanto, entender de tecnologia e negócios, é preciso também ter repertório matemático para que as decisões sejam tomadas com respaldo científico. Atualmente, há muitos dados disponíveis, mas dados de forma isolada não são informações e muito menos conhecimento; é preciso analisá-los, “fazê-los falar”.

Por fim, quero destacar, que este profissional deve ter compreensão dos movimentos sociais, culturais e econômicos em curso. Não deve ser aquele indivíduo que entende apenas de dados, mas que seja capaz de realizar uma leitura sistêmica dos aspectos mais humanos, tais como: sociais, comportamentais, entre outros. Vivemos em um mundo dinâmico e altamente complexo em que esta visão sistêmica, obtida através de uma carga cultural e de leitura elevada, se faz amplamente necessária para compreender o todo e assim poder ter todas as variantes necessárias para uma análise mais assertiva de modo a direcionar a tomada de decisão.

 Sabemos que se trata de um conjunto de habilidades bastante complexa e de alto nível. Contudo, não há outro caminho, a única forma é se dedicar, estudar, se tornar competente, reconfigurar seu repertório e desenvolver-se ao longo de sua carreira. Você nunca estará 100% pronto, sempre precisará se atualizar, nosso mundo é bastante mutável e você precisa acompanhar todas as variáveis de forma presente. Em nosso curso da Plataforma Solution abordamos o mundo de forma ampla e apresentamos ferramentas e conceitos que poderão contribuir com sua carreira e ajudá-lo nesta formação.

 

Gostou do artigo da Professor Edson? Confira as aplicações desses conceitos nos curso de Inteligência de Mercado  disponível na Platorma Solution.

Comentários
Nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar. Escreva seu comentário abaixo e contribua com a geração do conhecimento peça a peça.
Entrar para comentar

Você gostou deste conteúdo?