Marketing Digital para E-commerce

Artigo

Marcelo Victor Teixeira

Oferecer produtos e serviços simulando a compra em loja física, cristaliza-se como alternativa para consumidores em busca de praticidade, comodidade e possíveis economias. Nesse sentido, além de apresentar soluções, as marcas que vendem pela internet devem garantir uma experiência de compra positiva de modo a objetivar o retorno de seus consumidores. Do modelo mais tradicional de e-commerce aos marketplaces, aplicativos e s-commerces (social commerce - vendas em redes sociais), os consumidores têm utilizado esses recursos com frequência.

O Marketing Digital oferece alternativas de estratégias que merecem ser contempladas, visando a otimização e monetização desses ambientes: (1) posicionamento; (2) visibilidade; (3) ativação; (4) retenção; e (5) monitoramento.

As estratégias de posicionamento estão diretamente relacionadas à construção da loja virtual e fortemente atreladas ao conteúdo apresentado aos visitantes. O conceito de ambiência de loja, com organização dos produtos e serviços em categorias pode facilitar ou prejudicar a busca por informações. A construção da loja deve garantir a navegabilidade de forma intuitiva, simples e objetiva e todas as informações apresentadas devem ser claras. Além disso, deve-se ter especial cuidado com as políticas de troca, devolução e cobrança de frete que devem, preferencialmente, ser apresentadas ao longo de toda jornada de compra. Formatos de atendimento on-line devem ser oferecidos, tentando minimizar qualquer dúvida que impeça o consumidor de tomar sua decisão e de finalizar o processo de compra.

Uma vez criada a loja virtual, as estratégias de visibilidade objetivam tornar a loja conhecida e gerar tráfego de visitantes. Entre as possibilidades estão o SEO (Search Engine Optimization) com resultado orgânico, buscas pagas, inbound marketing, publicidade em outros ambientes digitais, uso de influenciadores digitais, marketing direto em whatsapp, uso de mensagens sms, e-mail marketing e publicidade nas redes sociais próprias. Nesse sentido, é fundamental garantir a qualidade das landing pages e evitar volume de impactos que gerem percepção negativa por parte dos usuários. 

As estratégias de ativação devem ser elaboradas e apresentadas aos visitantes da loja virtual, cujo objetivo é garantir a jornada de compra, reduzindo abandonos (bounce rate) e aumentando a conversão. Sendo assim, é usual a automação dessas estratégias e apresentação de promoções.

Finalizada a jornada com a compra efetivada, as estratégias de retenção objetivam garantir o retorno do cliente em futuras compras, sem a necessidade de investimentos em visibilidade. Para sua correta execução deve-se fazer uso adequado dos dados de modo a oferecer recompensa imediata ao cliente. 

Por fim, as estratégias de monitoramento devem garantir a efetiva coleta de dados que contribuem para compreender a real jornada do consumidor e sobretudo propor soluções, ajustes e reforço diante de alguma estratégia específica. Vale destacar que boa parte dos ambientes escolhidos para criação da loja virtual geram relatórios (Analytics) e dados importantes para a tomada de decisão. Contudo, cabe aos gestores analisarem esses dados à luz dos objetivos estratégicos da marca.

Gostou do artigo da Professor Marcelo? Confira as aplicações desses conceitos no curso de Marketing Digital disponível na Platorma Solution.

Comentários
Nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar. Escreva seu comentário abaixo e contribua com a geração do conhecimento peça a peça.
Entrar para comentar

Você gostou deste conteúdo?