Blog

Exaustão mental: evite o esgotamento melhorando sua gestão de tempo

Categorias:

Muitas vezes o dia parece passar tal qual um carro em alta velocidade. Trabalhar demais, de forma acelerada e executando várias tarefas ao mesmo tempo até soa como uma alternativa para contornar tanta correria. Mas já notou que nem mesmo assim parece que as coisas andam? Pior, ao final do dia não só o corpo […]

Muitas vezes o dia parece passar tal qual um carro em alta velocidade. Trabalhar demais, de forma acelerada e executando várias tarefas ao mesmo tempo até soa como uma alternativa para contornar tanta correria. Mas já notou que nem mesmo assim parece que as coisas andam? Pior, ao final do dia não só o corpo cobra, como a exaustão mental também dá as caras.

Claro, nem todo o dia permite um trabalho mais lento ou mais pausas para um merecido café. Entretanto, é importante saber que trabalhar após o horário normal, mantendo um ritmo constante e sem muitas pausas, impacta no resultado das entregas e na sua qualidade de vida.

Em primeiro lugar, existe uma análise errada sobre nossa relação com o trabalho. Ter muitas horas positivas de longe significa que a produtividade está sendo entregue no seu valor máximo.

Um erro maior pode vir por parte dos líderes que não sabem gerir corretamente a produtividade e não entendem que aspectos como uma longa jornada de trabalho impactam diretamente no nível de rendimento, ainda mais agora, perto do final do ano e com algumas pessoas ainda trabalhando em casa – ou no modelo híbrido.

Das 8h às 18h

Nem todas as pessoas são iguais, inclusive quando se refere ao período em que se sente mais ativo. Se por um lado um indivíduo consegue estar no auge pela manhã, existem aqueles que só funcionam após as 10h. Outros, ainda, só conseguem ter um bom ritmo após o almoço ou durante a madrugada.

Da mesma forma que existem as diferenças fisiológicas, trabalhar demais impacta a produtividade para melhor ou pior, dependendo de cada pessoa.

Ficar preso ao esquema das 8h às 18h pode sugerir uma pressão mental dentro da rotina. É preciso formalizar tudo o que conseguir na jornada de trabalho e, caso não seja possível, lá vem o banco de horas.

Em relação a isso, uma forma de evitar a exaustão mental é respeitando a individualidade. E quem deve prestar atenção nisso não é só o gestor, mas a própria pessoa que tem que cumprir o horário de trabalho.

Em dias de reuniões estratégicas, por exemplo, todos chegam no mesmo horário. Em outros, mais comuns à rotina, fica a cargo de cada funcionário cumprir sua jornada em um horário que lhe for mais conveniente – sempre dando prioridade a entregas importantes para o dia.

Evitando responsabilidades

A gestão do próprio tempo é essencial para extrair melhores resultados das tarefas e evitar a exaustão mental causada pelo estresse. Quando trabalhamos demais, é comum manter os esforços em atividades mais tranquilas do que as que parecem “chatas”.

Mesmo que menos grave, essa atitude pode enfraquecer o potencial produtivo e até prolongar ainda mais as horas de trabalho. Ainda nessa questão, muitos acabam caindo em ciladas da má gestão de tempo, como a procrastinação.

Nem sempre estamos com a disposição no ápice para fazer uma atividade, inclusive quando boa parte da nossa energia é retirada por conta de pressões e prazos. Trabalhar demais pode levar a picos de procrastinação, como forma de fuga para situações que parecem não ter solução ou que exigem maiores responsabilidades.

Nem toda proatividade é boa

Em alguns cenários, trabalhar demais é também reflexo de boas intenções. Um colaborador tenta ajudar ao outro, para melhorar os resultados de ambos. O ato, que é um sinal de proatividade, nem sempre acaba sendo benéfico. Isso porque o indivíduo pode acabar sobrecarregado de atividades que não são suas, prejudicando o próprio trabalho.

Fechar os olhos para o problema acreditando que somente a proatividade ajudará a equipe a si mesmo com certeza não é o caminho certo. Para evitar uma baixa produtividade e a própria exaustão mental, saiba dosar a proatividade e o excesso de trabalho.

Além disso, entenda que a proatividade é sim algo importante, mas ninguém consegue sustentar sozinho todas as áreas do trabalho. Se você deseja não se preocupar com quadros de exaustão mental e ainda seguir com bons resultados, compartilhe as responsabilidade e ajude outras pessoas na medida certa.

Você anda trabalhando demais? Que tal começar a fazer entregas com mais qualidade depois de ler essas dicas?