Blog

O que o Dia da Toalha tem a ver com você?

Categorias: Dicas

Se você acompanha o blog da Plataforma Solution já percebeu que nosso conteúdo é publicado semanalmente, às quartas-feiras, certo? Mas, excepcionalmente esta semana, chegamos mais cedo. Não entre em pânico! Queremos conversar um pouquinho sobre o Dia da Toalha e o que ele tem a ver com o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Vamos lá?

Quem está inserido no universo nerd já está acostumado com as inúmeras brincadeiras que tomam conta das redes sociais todo dia 25 de maio. A referência é ao livro (que tem continuação e virou filme) O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams. Contudo, a data também é considerada por alguns como o Dia do Orgulho Nerd – ou Geek –, concorrendo com o Star Wars Day, comemorado dia 4 de maio (no inglês, May 4th, em uma alusão à popular frase da saga – “May the force be with you”).  

Mas vamos ao que interessa. Que tal começarmos com um pouco de contexto?

Inspire-se nos protagonistas

Já que vamos falar sobre o Dia da Toalha, nada mais justo do que explicarmos a ideia por trás deste item, aparentemente, tão comum. E, para isso, você precisa conhecer os dois protagonistas da obra: Arthur Dent, um humano preocupado em evitar que sua casa seja demolida para dar lugar a um desvio, e Ford Prefect, um alienígena preso na Terra pelos últimos 15 anos (portanto, infiltrado na sociedade terráquea) e pesquisador de campo responsável por atualizar os verbetes incluídos n’O Guia do Mochileiro das Galáxias.

Quando a Terra está prestes a ser destruída, ironicamente para que seja construída uma via expressa hiper espacial (um paralelo com a história de Arthur), os dois amigos conseguem carona justamente na nave encarregada da demolição. E assim começa uma história que convida o leitor a exercitar a imaginação e abraçar as situações mais improváveis.

Além da ficção

Uma dessas situações apresenta mais alguns elementos importantes para o Dia da Toalha, entre eles as personagens Zaphod Beeblebrox, outro alienígena, Trillian, outra humana, e Martin, um robô, além da nave Coração de Ouro com seu gerador de improbabilidade infinita.

Esse aparato foi responsável pelo resgate de Arthur e Ford e o encontro deles com Zaphod, Trillian e Martin, assim como por outros momentos da história (não queremos estragar todas as surpresas para quem ainda não conhece a obra).

Mesmo que contrariado durante a maior parte do livro, Arthur não deixa de ficar fascinado por (quase) tudo que vê e sente fora da Terra. A trama coloca a personagem em condições inusitadas e aleatórias, mas sempre deixando rastros de inspiração na própria ciência.

As tecnologias presentes na obra

O Guia do Mochileiro das Galáxias, além de dar nome à obra, também é um aparelho que, se existisse, hoje talvez se assemelhasse a um Kindle. Descrito como um livro eletrônico que tem tudo sobre todos os assuntos, ele também pode lembrar a Wikipedia, por ser uma fonte extensa e quase imediata de informação.

E, como não poderia ser diferente em uma obra de ficção, as inteligências artificiais também têm seu espaço de interação com as personagens principais, com a presença do próprio Martin, o robô depressivo, além de computadores e até portas inteligentes.

No livro, um dos destaques é o peixe-babel, que não é exatamente uma tecnologia, mas serve para decodificar idiomas, traduzindo instantaneamente qualquer língua para quem tiver um desse no ouvido.

Na literatura ou no dia a dia, é preciso de uma boa dose de criatividade para produzir algo realmente inovador, que desperte tanto a necessidade quanto o desejo nas pessoas. Os detalhes presentes em cada descrição de cenários, personagens e objetos são uma forma de trabalhar esse lado criativo. Não só esta obra específica, mas produtos culturais, em geral, são grandes aliados e influenciadores de realidades, como vamos ver abaixo.

Mercado de luxo

Em um determinado momento do livro, as personagens chegam a Magrathea, um planeta “adormecido”, pois sua população é especializada na confecção de outros planetas e, por ser um produto muito caro, eles estão dormindo até que a economia melhore (ou chegue uma demanda inusitada).

Sem mais spoilers sobre este planeta, podemos dizer que este inimaginável serviço pode fazer um paralelo com as nossas atividades reais, relacionadas à pluralidade de públicos-alvo e com os hábitos de consumo.

O valor prático e psicológico da toalha

Sem deixar de lado o que nos trouxe até este texto, o Dia da Toalha nasceu como uma homenagem a Douglas Adams depois de seu falecimento e ressalta um detalhe de sua obra que poderia passar despercebido, se não fosse a competência do autor em conquistar a atenção dos leitores com sua escrita dinâmica e que nos surpreende mais pela habilidade com as palavras do que pelos plot twists da obra em si (afinal, é um livro infanto-juvenil).

Voltando às toalhas, elas são descritas como um dos objetos mais úteis para os mochileiros interestelares, já que podem servir como agasalho e para se deitar em cima ou embaixo. Também é possível umedecê-la, usá-la para proteger a cabeça e ainda agitá-la no ar se precisar de ajuda. Além de, claro, ser usada para enxugar. E tudo isso nos cenários mais improváveis galáxias a fora.

Psicologicamente, o livro ainda define que um mochileiro com uma toalha passa credibilidade: as pessoas assumem que ele tem outros itens importantes para uma viagem, como escova de dentes, bússola e mapa, além de estarem dispostas a emprestar qualquer um desses itens caso ele tenha se perdido.

Aqui vale citar um trecho do livro: “Se um sujeito é capaz de rodar por toda a Galáxia, acampar, pedir carona, lutar contra terríveis obstáculos, dar a volta por cima e, ainda assim, saber onde está sua toalha, esse sujeito claramente merece respeito.”

A importância da leitura na formação de um bom repertório cultural

Assim como outros meios de consumo de cultura, a leitura tem grande valor na formação do seu repertório cultural. Mais do que ajudar com a compreensão da leitura, a ortografia e a interpretação de texto, o hábito de ler nos transporta para outras galáxias e desperta nosso interesse por assuntos variados, de áreas do conhecimento que talvez não considerássemos estudar.

É por isso que, neste Dia da Toalha, queremos deixar essa dica de leitura, que já virou um clássico com amplas referências, como a resposta à grande questão da vida, o universo e tudo mais (para obter respostas, não se esqueça de saber as perguntas) – 42.

Aproveite o Dia da Toalha e compartilhe este texto com quem também curte o assunto. E para finalizar com um clichê: Adeus, e obrigado pelos peixes!