Produzir cana é rentável? Uma visão do produtor

A safra 2018/19 encerrou-se oficialmente no último dia 29/03, estabelecendo um preço médio, considerando o CONSECANA-SP, de R$ 0,5826/kg de ATR. Com uma qualidade média em torno de 135 kg/t, o produtor de cana vai receber R$ 78 por tonelada produzida (linha vermelha na ilustração). Um patamar de preço bem inferior ao custo de produção da matéria-prima, que foi em média R$ 104/t. Tal indicador foi calculado a partir da apuração de custos em 38 diferentes regiões produtoras do centro-sul canavieiro, em levantamento promovido pelo Pecege, em parceria com ORPLANA e CNA.

Destaca-se a amplitude dos registros de custos, com variação de 50% entre o produtor mais eficiente (R$ 83/t) e o menos eficiente (R$ 125/t), o que é determinado, principalmente (e não exclusivamente, afinal, existem diferentes realidades de produção), pela produtividade de ATR (t/ha) observada, conforme disposto na ilustração, que apresenta os resultados por quadrantes, onde se nota que 2/3 dos registros estão nos quadrantes superiores, acima dos R$ 100/t.

Ainda que haja esta distribuição, chama-se atenção ao fato de nenhuma região produtora apresentar custos menores que os preços praticados, levando a conclusão de prejuízo econômico ao produtor de cana na safra 2018/19. Ressalta-se que não estão inclusas nestas análises eventuais bonificações estabelecidas entre usinas e produtores, práticas estas que, dadas as evidências, vem se tornando fundamentais a sobrevivência no produtor de cana, regendo uma nova formação de negociação: “CONSECANA mais alguma coisa…”

João Rosa (Botão) é professor do Pecege e idealizador do canal do Youtube Botão do Excel.

Conheça o curso Gestão de Custos Sucroenergéticos, da Plataforma Solution.