Como é o líder do futuro?

Muitas são as competências atribuídas a alguém que desempenhará um papel de liderança. Falar sobre o líder do futuro entra nessa questão, uma vez que a imagem de um chefe autoritário não pode estar relacionada a imagem de um cargo de liderança.

Um líder do futuro consegue absorver as mudanças e implantar elas para que se adaptem a seus liderados. Exige responsabilidade, sensibilidade e, principalmente, humanidade, uma vez que estamos falando de trabalhar guiando outras pessoas.

Para Denise de Moura, professora do curso de Liderança e Líder Coach da Plataforma Solution, as inúmeras transformações, sobretudo tecnológicas, têm modificado consideravelmente as relações interpessoais dentro das organizações.

“Como tudo tem ocorrido de forma muito rápida, fica difícil prever exatamente como será o futuro. Uma coisa é certa. Independente se vamos trabalhar em casa, de forma virtual, em formato coworking, sempre haverá espaço para uma liderança capaz de engajar e manter o comprometimento da sua equipe elevada. Para isso, algumas competências tornam-se essenciais”, explica.

Líder do futuro, só que agora

Segundo Denise, é importante mencionar que falar sobre a humanização da gestão não significa esperar que um líder seja amigo ou que almoce todos os dias com a sua equipe, por exemplo. “Pensando que há pessoas que são lideradas por gestores de outros países (equipes globais), um chefe ‘amigo’ não as ajudará em seus resultados”, exemplifica.

Para as equipes que desejam uma gestão justa e eficaz, ela envolverá alguns comportamentos importantes que todo gestor precisará desenvolver ou aprimorar.

“Mais do que um amigo, as pessoas querem um parceiro de trabalho, um facilitador”, comenta a professora.

Competências

Se ainda assim a imagem de um líder do futuro – e mais humano – levantar dúvidas, Denise separa alguns dos comportamentos que deverão ser adotados ou aprimorados por esse “facilitador”. São esses:

  • Proporcionar desafios e metas para todos da equipe e acompanhar os resultados individuais e em grupo;
  • Capacitar e desenvolver os integrantes da sua equipe continuamente, para que consigam realizar suas atividades com segurança e confiança, superando obstáculos e se tornando um profissional melhor a cada dia;
  • Ser justo e íntegro com todos da equipe, reconhecendo os esforços individuais e promovendo as pessoas pelos resultados que entregam e não por afinidades;
  • Respeitar a sua equipe, dando feedbacks honestos que visem o aprimoramento profissional;
  • Dar autonomia e acompanhar os resultados. Delegar é diferente de “delargar”. Delegar envolve passar uma responsabilidade para um integrante da equipe, mas fazer acompanhamentos periódicos das entregas;
  • Promover o espírito de equipe em seu grupo, mediando conflitos não funcionais (atrapalham o desempenho), trabalhando as diferenças culturais que venham a surgir e estimulando pontos de vista diferentes.

Por fim, a professora explica que o líder do futuro será um gestor que conheça com profundidade cada integrante da sua equipe, independentemente do cargo que eles ocupam. “Apesar da distância, consiga engajá-los continuamente, através do seu comportamento ético e justo. O líder do futuro será um verdadeiro parceiro de trabalho”, pontua.

Você reconhece as habilidades do líder do futuro? Saiba também como identificar um líder tóxico.

Por que é importante exercitar a liderança na vida pessoal?

Ser um bom líder no trabalho significa motivar a equipe, trabalhar junto e encontrar soluções para conseguir os melhores resultados. Para além do profissional, as capacidades de liderança também são importantes impulsos para alavancar a vida pessoal.

Um bom líder de si é aquele que consegue administrar todas os setores da própria vida com eficiência. É comum associar esse tipo de atitude com a perfeição, mas uma boa liderança não significa não ter conflitos e sim saber lidar com eles.

Essa característica de resolução de problemas é comum ao líder nato. No entanto, não apenas quem já tem uma personalidade voltada à liderança pode desenvolver essa habilidade. Para conseguir conduzir a própria vida, a primeira coisa a se fazer é buscar o autoconhecimento.

Autoconhecimento

A palavra por si já se explica. Quem não desenvolve o autoconhecimento, tem dificuldades com a liderança e isso, por sua vez, traz como consequência ser altamente influenciável.

Se conhecer é importante porque auxilia na capacidade de filtragem do que vem de outras pessoas. Influências demais podem ser prejudiciais em vários níveis. Tomar decisões sem precisar da aprovação de outra pessoa é o cerne da atitude de um líder.

Ser influenciado não significa apenas se deixar levar para caminhos questionáveis por algum desconhecido. Familiares e amigos também podem ser tóxicos e fazer com que você seja guiado a situações complicadas e com resoluções ainda mais difíceis.

Liderança dentro de casa

Primeiro de tudo, vamos a alguns exemplos do que é liderança. Toda casa com mais de três pessoas tem aquela que é o “chefe da família”. Antigamente, esse papel era atribuído exclusivamente aos homens porque eles eram os que davam o sustento ao lar, trabalhando fora.

Hoje em dia, as mulheres estão inseridas no mercado de trabalho e essa visão mudou. Com famílias de configurações diversas, o líder pode ser qualquer um, não necessariamente ligado ao financeiro.

Esse líder dentro de casa geralmente é quem toma frente diante das situações complexas, que decide o que deve ser feito – claro, com colaboração de todos os que serão afetados pela decisão.

Ser o líder dentro da família não quer dizer ser mais importante e muitas vezes essa posição nem está tão clara. É apenas o que vai à frente nas decisões importantes. Algumas vezes, é preciso ser o “chefe de família” até para quem mora sozinho ou com amigos ao invés de parentes.

O líder sozinho

As capacidades de liderança são importantes também para quem passa a maior parte do tempo sozinho. Essa característica vai ajudar nos momentos em que é preciso tomar decisões.

Morar sozinho já é, por si só, uma atitude típica de quem tem qualidades de liderança. Quem é muito dependente e não tem costume de liderar, dificilmente conseguiria responsabilizar-se com as questões diárias de quem mora sozinho.

Geralmente, essas pessoas são mais dependentes de outras e por isso é tão importante que todos desenvolvam, mesmo que minimamente, um pouco de liderança.

Humildade é sabedoria

Muitos têm a visão de que a liderança é ser o melhor, ser independente e tomar todas as decisões sozinhos. No entanto, essa visão na verdade remete muito mais a um chefe autocrático do âmbito profissional do que um líder na vida pessoal.

Liderança também é ser sábio para pedir opiniões, consultar pessoas mais experientes e ter a maturidade para entender que nem sempre – ou quase nunca – você vai estar totalmente correto. Pedir ajuda demonstra que você é maduro o suficiente para entender que a independência total é impossível.

Para ser um líder da sua própria vida com sabedoria, vale relacionar ela com o profissional: se você exerce a liderança em uma empresa, tem uma equipe ali para te dar o suporte. Na vida pessoal é o mesmo: seus familiares e amigos próximos podem te dar um auxílio em vários aspectos. É importante se lembrar, é claro, que cada um vai ter também sua própria vida para liderar.

Se interessou pelo assunto? Veja também 7 filmes para inspirar sua liderança.

7 filmes para inspirar a sua liderança

A liderança, quando bem utilizada, pode fazer a diferença em várias ações da vida. Desde o gerenciamento familiar, passando pela escola até o trabalho, a habilidade de ser líder auxilia a manter em pleno funcionamento grupos de sucesso, sejam eles pequenos ou não.

Provando que liderança não é algo reservado apenas ao ambiente profissional, alguns filmes dão lições de condução e servem como inspiração para quem deseja liderar. Seja baseado em fatos reais ou não, suas histórias marcam pelo ensinamento de forma sutil ou aberta. Confira alguns deles.

Vida de inseto

Acredite ou não, uma animação é capaz de passar grandes lições. A aventura tão amada de 1998 tem dois exemplos de liderança: a democrática e a autocrática.

A primeira é incorporada por um grupo de formigas, que faz jus à sua fama de exemplo de organização. A segunda se refere aos gafanhotos, que são dependentes do seu líder autoritário e opressor.

Nesta história é mostrado como é possível superar dificuldades, orientar a outras pessoas e solucionar problemas com suas próprias capacidades, mesmo com limitações.

Sociedade dos poetas mortos

O longa tem a trama centrada em uma das escolas mais tradicionais dos EUA, nos anos 1950. Nela, um novo professor chega com uma forma de ensino diferente e estimula os alunos a pensarem por si próprios.

Além de ser um filme sobre liderança, a obra também traz reflexões sobre a vida. São mostradas lições sobre empatia, autoconhecimento, motivação e o poder da comunicação.

Uma das cenas que concentram tais lições acontece quando o professor, em cima de uma mesa, convida os alunos a fazerem o mesmo. O educador conclui a ação dizendo: “Ousem avançar e encontrar novos pontos de vista!”.

Capitão Phillips

Baseado em uma história real, o longa faz parte dos fatos relatados em livro (Dever de Capitão) por Richard Phillips. Nele, o navio cargueiro em que Phillips era capitão foi invadido por piratas somalis e toda a tripulação foi feita refém durante cinco dias.

A filmagem mostra que ser um líder ou demonstrar liderança no trabalho vai muito além dos bons exemplos. O seu comportamento e posicionamento diante das mais diversas situações serão determinantes para engajar e estimular (ou não) uma equipe.

Mais do que coragem e jogo de cintura, um líder se mantém calmo e seguro para garantir que o melhor seja feito por sua equipe.

Coach Carter

Ken Carter é um ex-jogador de basquete que assumiu o desafio de liderar o time dos Oilers High School de Richmond, em 1997. O grande trunfo de Carter como líder foi perceber que a performance dos jogadores do time estava diretamente ligada ao contexto problemático no qual estavam inseridos.

Com atletas indisciplinados, agressivos, insubordinados e indiferentes, o time acumulava derrotas. Em uma reviravolta, o treinador garantiu o alinhamento de expectativa e de propósito entre os jogadores, levando em conta a vida que cada um deles fora das quadras.

Dessa forma, em apenas dois anos o time sofre grandes mudanças. Acumulando vitórias e deixando de lado seu estereótipo azarão.

O homem que mudou o jogo

Mais um filme sobre esporte, este conta como um treinador consegue levar um time de beisebol para a final e transformar os jogadores em campeões. Claro que tudo isso por meios pouco ortodoxos.

O longa traz alguns clichês esportivos, mas a grande deixa para inspirar os treinamentos de liderança está justamente no perfil do treinador. Ele consegue escutar as mudanças sugeridas por um economista e transformar os dados em informações para engajar o time.

A principal lição da história é inspirar a encontrar valor onde ninguém vê para criar um time de alta performance.

O Discurso do Rei

O filme aborda uma dificuldade aparentemente física que interfere no papel de liderança vivenciado pelo seu personagem principal – o rei George VI (pai da rainha Elizabeth II).

Integrante da realeza britânica, ele assume o trono e deve realizar discursos, mas gagueja desde os 4 anos de idade. Por esse caminho, a narrativa é cheia de autoconhecimento e descoberta, revelando como os aspectos psicológicos interferem na fala, na fluência verbal, na linguagem e expressão de ideias e pensamentos.

Logo, fica claro como a comunicação é importante e um elemento estritamente ligado à capacidade de liderança.

Obrigado por fumar

Nesta obra cinematográfica, um porta-voz das grandes empresas de tabaco tem que convencer as pessoas de que o cigarro não é tão ruim assim. Para isso, Nick precisa lidar com personagens de fortes valores pessoais.

Obrigado por fumar é de longe um filme a favor do cigarro, pois sua preocupação é destacar uma das qualidades de um bom líder: a comunicação. Seguida de uma boa oratória, discurso seguro e frases de efeito, ela é capaz de mover grandes grupos.

Além disso, o longa mostra que a comunicação não verbal, o tom de voz, gestos, sorriso e visual também compõem uma boa imagem profissional.

Já viu algum desses filmes? Deixe nos comentários mais sugestões de obras que falem sobre liderança.

O que é um Líder Coach

O tipo de líder que você é reflete nos resultados e na motivação da equipe. Um líder coach, por exemplo, foca na humanização da gestão e tem o hábito de perguntar mais do que responder.

A professora do curso de Liderança e Líder Coach da Solution Denise de Moura explicou que uma das principais diferenças entre o líder tradicional e o líder coach é a forma de lidar com problemas do cotidiano do trabalho. Continue reading “O que é um Líder Coach”