Estado de flow: 7 dicas para aumentar sua produtividade

Você já esteve tão submerso no trabalho que, mesmo empenhado por horas, sentiu como se apenas minutos tivessem passado? Essa é a principal característica do estado de flow ou estado de fluxo, aquele momento em que sua mente consciente se compromete 100% com determinada atividade e praticamente se desliga do mundo ao seu redor.

Alcançar o estado de flow pode parecer algo difícil ou natural somente para pessoas consideradas acima da média, mas a verdade é que essa habilidade pode ser induzida para produzir de forma mais criativa e inovadora.

O estado de flow é a combinação de desafios e habilidades. Por isso mistura energia, prazer e foco em uma imersão completa, com uma consequente ausência de controle do tempo e espaço.

O segredo está na motivação. As atividades que despertam o estado de flow são aquelas em que as pessoas podem dar o melhor de si no momento que as executam. Com corpo e mente fluindo de forma harmônica, a sensação é parecida com felicidade.

Uma das maneiras de entrar em estado de flow é praticando o mindfulness. Contudo, separamos outras setes dicas para você desenvolver essa habilidade de forma intencional.

Transforme as atividades em jogos

Os jogos estimulam a competitividade. Por isso são considerados bons incentivadores para quem quer chegar ao estado de flow. Eles representam desafios constantes e a possibilidade de aumentar nossos níveis de concentração quando competimos contra nós mesmos.

Outra característica dos jogos é a diversão. Assim, fica fácil entender como é possível mantermos a atenção em uma mesma tarefa por tanto tempo.

Busque o êxtase

É quase impossível atingir o estado de flow se você estiver fazendo algo que não gosta. Vale focar em atividades prazerosas, significativas ou gratificantes. Mesmo que todo trabalho envolva tarefas mais desagradáveis ou mecanizadas, é possível encontrar tempo para se dedicar aquilo que você realmente ama fazer.

Se você está tendo muita dificuldade em encontrar esses momentos de prazer no seu trabalho, talvez seja hora de rever o que realmente te faz feliz. Não se esqueça de estar em contato constante com sua inteligência emocional.

Metas desafiadoras e realistas

Desafios e habilidades devem ser compatíveis e estar alinhados em um nível alto. Um gráfico muito comum quando o assunto é estado de flow determina que:

  • Desafio em nível alto e habilidade em nível baixo geram ansiedade;
  • Desafio em nível baixo e habilidade em nível alto geram tédio.

Lembre-se, então, que suas metas devem coincidir com a sua realidade, não sendo fáceis demais ou impossíveis de serem realizadas.

Saúde criativa

Para conseguir ser criativo de forma saudável, é preciso estar com saúde e energia em dia. E isso implica em, também, saber o momento certo de desacelerar e descansar. Se você estiver com muito trabalho ou chegando no seu ponto de exaustão, o estado de flow não vai acontecer.

Comer, dormir e se exercitar são atividades-chave para o fluxo. Se precisar, coloque alertas no celular ou lembretes para te ajudar a lembrar e não negligenciar sua saúde.

Sobre energia, você sabia que existem quatro tipos de descanso? Você pode começar praticando agora mesmo algum deles: mental (meditar e atividades de entretenimento), social (sair com amigos, esportes de equipe ou abraços), espiritual (apreciar a natureza e dedicar um tempo para você mesmo) ou físico (relaxar músculos, caminhar ou dormir até tarde).

Desenvolva autoconhecimento

Quando temos consciência das nossas habilidades, fica mais fácil identificarmos quais estratégias utilizar para encarar os desafios. O autoconhecimento é o melhor caminho para utilizar suas capacidades com excelência.

Com isso, é possível atingir o estado de flow sabendo exatamente os recursos que podemos utilizar para realização das tarefas.

Ambiente ideal

Nessa altura você já deve ter percebido que a distração é inimiga do fluxo. Por isso é importante que você esteja em um ambiente propício para o estado de flow. O ideal é trabalhar em casa ou ter a possibilidade de ir a um lugar mais tranquilo do trabalho quando precisar se concentrar.

Contudo, nem sempre isso é possível. Assim, fones de ouvido com isolamento de ruído ou barulhos com som da chuva e até os populares ASMR são boas opções para ambientes mais cheios.

Cientista da própria realidade

A melhor maneira de entrar no estado de flow é pela repetição. Basta observar os componentes presentes no momento que você atingiu o fluxo máximo da sua produtividade e tentar reproduzi-los em uma nova oportunidade em que você quer sua atenção completa.

Uma boa dica é anotar essas condições para identificar em que circunstâncias elas se repetem. Assim você sabe o que funciona para você.

Você já vivenciou o estado de flow? Conte suas experiências para a gente!

Ciclo da procrastinação: como você lida com prazos e responsabilidades?

O conceito da procrastinação é conhecido e definido pelo adiamento de atividades importantes que, por consequência, geram estresse, culpa e baixa produtividade nos “praticantes”. E se isso já é bem ruim, imagine que ainda existe o ciclo da procrastinação, que apresenta efeitos ainda mais negativos.

Os motivos para procrastinarmos são amplos, mas geralmente estão relacionados com o cansaço, sobrecarga, estresse, preguiça ou falta de motivação. E ao deixar de agir diante de uma situação importante, podemos sofrer pelo esquecimento instantâneo ou arrependimento em curto prazo.

Não é muito difícil entender as situações em que a procrastinação acontece, pois elas aparecem com justificativa para atrasos baseadas na preguiça ou falta de tempo. Priorizar tarefas satisfatórias e deixar as necessárias para depois, não saber se organizar ou tentar ser perfeccionista demais também são sinais de alerta para esse hábito.

Ao esbarrar com uma dessas situações dentro da rotina, vale a pena pensar em mudar os comportamentos que costumam estender o ciclo da procrastinação. Antes de tudo, porém, é importante saber identificá-los e criar ações de fuga.

Efeito dominó

Quem nunca empurrou com a barriga compromissos, tarefas e objetivos que atire a primeira pedra. Até mesmo coisas que poderiam ser resolvidas em poucos minutos, mas que de alguma forma foram ignoradas, são capazes de criar um hábito de procrastinação.

É claro que não há problema algum em procrastinar, desde que isso seja feito poucas vezes. O verdadeiro mal acontece quando a atitude é adotada repetidamente e começa a impactar de forma negativa na qualidade de vida.

Desse ponto para frente, quase todas as áreas são afetadas, desde o núcleo pessoal, passando para o familiar, social e profissional. Procrastinar pode ser até viciante, já que é uma solução aparentemente prática para muitos problemas.

A longo prazo, o ciclo da procrastinação deixa de ser inofensivo e acaba com objetivos. Antes que se perceba, a produtividade deixa de existir e as responsabilidades aparentam ser cada vez mais angustiantes.

Identificando os vilões

Como já sabemos, o ciclo da procrastinação começa com vários estímulos. Antes de contorná-los, é preciso entender cada um deles:

Solução rápida: alcançar bons resultados com mínimo esforço é praticamente impossível. Nessa situação, sempre desejamos que alguém ou algo apareça para resolver um problema com soluções mágicas.

Medo do fracasso: procrastinar gera uma falsa sensação de conforto e competência. Mas a vida exige confrontos com a realidade, o que significa aceitar desafios.

Perfeição exagerada: ser perfeccionista demais é sim um defeito, pois acabamos gerando preocupações excessivas com apenas uma tarefa, que é trabalhada e retrabalhada até se tornar mais importante que qualquer outra.  

Vulnerabilidade: superar obstáculos e resistir à pressão em situações adversas, sem perder o controle emocional, é capaz de manter a firmeza nos propósitos. Do contrário, o foco e atenção no que não é importante gera sofrimento.  

Transtornos emocionais: estar em dia e bem com a saúde mental também é um grande diferencial. Algumas psicopatologias, como depressão e ansiedade, acabam tornando a procrastinação algo enraizado na vida de muitas pessoas.

Planos de ação

Quebrar o ciclo da procrastinação e aumentar a produtividade exige um intenso trabalho nas ações de combate, para que elas virem hábitos. Duas delas são a presença e o modelo mental.

A presença está relacionada com responsabilidade, portanto ela determina que, diante de uma atividade em que nos comprometemos a fazer, devemos efetivamente trabalhar nela naquele momento, antes que a atenção seja desviada para qualquer outra coisa.

Quando percebemos que existe um desvio da concentração para coisas insignificantes, é indispensável parar e avaliar se a escolha é certa ou se a fuga da tarefa importante não vai ser um problema no futuro.

No modelo mental, precisamos deixar de justificar o hábito da procrastinação sempre com a mesma fala. Em vez de se aceitar como alguém que procrastina, o melhor seria limitar a procrastinação a apenas uma situação.

Se assumir como uma pessoa que funciona sob pressão ou que tem dificuldade em terminar tarefas e respeitar prazos também não deve ser um estilo de vida. Aceitar essa condição não ajuda a identificar se a procrastinação acontece em uma tarefa ou se já virou uma dificuldade constante.

Recordando

Após entender e montar planos de ação, ainda assim haverá momentos em que o ciclo da procrastinação mostrará as caras. E está tudo bem. Mas ter em mente os seguintes tópicos vai encurtar as chances para que ele aconteça ou, em alguns casos, permaneça.

Prazos: diminuir o tempo disponível traz senso de urgência, portanto, distribua os prazos em tarefas menores que possam ser feitas mais rápido;  

Rigor: determine um limite para começar e terminar as tarefas com urgência alta e siga com rigor esse plano;  

Organização: ter um calendário visível e com uma listagem das tarefas que estão interligadas trará noção sobre atrasos e o quanto eles podem impactar um projeto;

Desafios: criar desafios pessoais e realmente cumpri-los traz sensação de recompensa. Comece com algo simples e sempre aumente a dificuldade;

Foco: controle o ambiente para facilitar a concentração, deixando distrações longe da sua área de trabalho;

Compartilhar: tenha pessoas com o mesmo objetivo por perto e compartilhe sua evolução com elas para se manter motivado;

Recompensas: cada etapa concluída merece uma comemoração para sustentar a motivação e dar significado à rotina;

Refletir: os efeitos de passar cada obstáculo são positivos para a sua vida? Reflita para entender se vale a pena seguir em frente ou se o objetivo não faz mais sentido.

Quer melhorar ainda mais a sua produtividade? Conheça 5 aplicativos que ajudam a otimizar a rotina.

Como começar o ano investindo na carreira

O tema “futuro profissional” está sempre em pauta. E começar o ano investindo na carreira acaba se tornando um projeto difícil quando a rotina e excesso de afazeres tomam conta do espaço reservado ao plano profissional. Além de evitar o desânimo, alguns cuidados e metas reais podem ajudar a contornar a situação.

Com um pouco de organização e foco, não vai ser difícil incrementar o currículo dentro da sua realidade e dar aquela guinada para um sonhado emprego. Mas se é uma força que você precisa, separamos algumas dicas para começar o ano investindo na carreira.

Ainda lembra da organização?

Bater nessa tecla nunca será demais. Afinal, o que a longo e médio prazo pode ser concluído sem organização? Para se começar um plano de todo o tipo, é preciso entender os objetivos e se perguntar onde quer estar dentro de um certo tempo.

Depois, não pare por aí. Liste tudo que exige de você um esforço para chegar lá em tópicos por prioridade. Por fim, gerencie o tempo de forma a não deixar de lado o que vai ditar suas mudanças. Mais importante que começar o ano investindo na carreira é saber que para chegar lá existem passos a serem respeitados.

Esteja aberto para estudar mais e mais

Culturalmente estamos presos a fórmula “ensino médio + graduação” para conseguir um espaço no mercado de trabalho. Mas já deixou de ser suficiente parar no tempo logo após concluir a faculdade. Afinal, se a sociedade muda, a cultura e conhecimento também.

Busque sempre atualizações por meio de cursos, e não só os de pós-graduação. Cursos rápidos, on-line e de aprimoramento são sempre bem-vindos, pois além de não precisarem de muito tempo para conclusão, geralmente entregam conteúdos com aplicabilidade. Que tal começar por algum da plataforma Solution?

Escolha sua área ideal

Você se sente confortável financeiramente no emprego, mas não se enxerga nele? Bem, é possível que não esteja na área certa. E se está lendo essa dica, é porque entende que chegou a hora de mudar. Cada indivíduo possui uma diversidade de talentos, contudo nem todos podem ser aplicados na vida profissional. Saiba então identificar aqueles que podem te ajudar a caminhar para um novo desafio.

Mas não se esqueça que mais do que parecer um hobby, a carreira precisa envolver dedicação, desafios e atividades prazerosas. Além disso, deixe de pensar somente no lado financeiro. Estar em um lugar que se encaixa no seu perfil e ideais pode ser mais valioso que qualquer remuneração.

Use suas experiências anteriores

É muito comum surgirem dúvidas em momentos decisivos sobre nosso futuro. Uma boa dica para contornar essa situação é se espelhar nas experiências passadas. Para ser mais claro, elas podem ser momentos de um estágio, um trabalho voluntário, passagem por outras empresas, convivência com pessoas e até mesmo participação em eventos.

Pode parecer pouco, mas experiências são importantes para nos guiar sobre nossas capacidades ou a falta delas. Sem falar que sempre tiramos alguma lição de tudo o que nos ocorre, basta saber aplicar para aproveitá-las da melhor maneira.

E busque por novas. Sempre!

Se vai começar o ano investindo na carreira, saiba bem onde fará isso. Existe uma variedade de cursos, workshops, intercâmbios e eventos, por exemplo, que tornam a tarefa da decisão ainda mais difícil. Tenha em mente nunca tomar decisões baseadas em popularidade, como treinamentos oferecidos por profissionais de renome, mas que não se encaixam no seu perfil.

Para se traçar estratégias realistas que beneficiem sua carreira, lance mão de experiências que casem com suas preferências. Caso queira arriscar, invista em competências que você acredita que possam ser desenvolvidas sem gerar impactos nos planos que você já possui. Como aprimorar o estilo da sua escrita, por meio de um curso, quando você já a domina.

Vai começar o ano investindo na carreira? Conte pra gente quais planos pretende colocar em prática!