Muitas pessoas têm dificuldades em terminar suas tarefas dentro do prazo e lidar com listas de afazeres que dão a sensação de serem impossíveis de resolver. A Técnica Pomodoro pode ser uma alternativa para solucionar esse problema.

Criada no final da década de 1980 pelo italiano Francesco Cirillo, a metodologia estimula o foco e pode melhorar a agilidade do cérebro. Mas, afinal, como usar a Técnica Pomodoro para melhorar a gestão de tempo e produtividade?

Separamos alguns passos para entender e aplicar suas funcionalidades no trabalho e estudos. Confira:

Como funciona

A Técnica Pomodoro se baseia na ideia de divisão do fluxo de trabalho em blocos de concentração intensa para melhorar a agilidade do cérebro e estimular o foco. Para colocá-la em prática é preciso apenas um timer ou cronômetro para fazer contagem regressiva, uma lista de tarefas (to-do-list), lápis e borracha.

Após organizar previamente as tarefas a serem desempenhadas durante o dia, basta dividir o tempo de dedicação entre elas em períodos de 25 minutos e trabalhar ininterruptamente nas tarefas dentro dessa minutagem. Nesse tempo é preciso evitar qualquer distração, incluindo notificações do celular e computador.

Descanso

Quando o timer anunciar o fim dos primeiros 25 minutos, anote o avanço no trabalho ou faça um X nas tarefas concluídas. Antes de iniciar o próximo bloco, faça uma pausa de cinco minutos e pratique alguma tarefa não relacionada ao Pomodoro como ir ao banheiro, responder mensagens, fazer uma ligação, tomar um café, etc.

Depois de cada quatro blocos de pomodoros, faça uma pausa mais longa de 30 minutos até voltar ao trabalho. Se o descanso de cinco minutos parecer pouco devida a uma atividade mental muito exigente e cansativa, a recomendação é um descanso um pouco maior, como 10 ou 15 minutos, para não correr o risco de retomar o próximo bloco com a mente exausta.

Sem interrupções é sem interrupções

Quando o criador da Técnica Pomodoro disse que a tarefa deve ser feita sem interrupções, não é um exagero. A quebra da concentração só deve ocorrer se for extremamente urgente e não puder ser adiada. Caso isso aconteça, o mais correto é cancelar o pomodoro e começar outro quando retomar as tarefas. A grande intenção é que não aconteçam distrações que acabem com a concentração e a produtividade.

Para não cair na tentação de olhar o celular, a dica é desligar o ponto de distribuição da internet e, ainda, colocar o aparelho em modo avião. Durante os 25 minutos de pomodoro nem mesmo reprodução de músicas são aconselhadas pois podem comprometer a atenção pena.

Adaptação

Se o tempo de cada bloco da Técnica Pomodoro parecer pouco em relação a um trabalho ou estudo que está rendendo, a parada pode parecer um obstáculo para retomar a concentração quando ela parece no seu auge. Caso a vontade seja seguir com a tarefa mesmo depois de acabado os minutos do bloco é possível adaptar a técnica conforme a necessidade do que está se executando.

Esse é um ponto positivo do pomodoro, pois possibilita uma gestão de tempo baseada na rotina e modo criativo do usuário. Como a inspiração nem sempre aparece na hora que se deseja, entender os próprios prazos pode tornar a técnica mais eficiente.

Prioridades e motivação

Além de evitar a procrastinação, a Técnica Pomodoro incentiva na organização ao eleger quais tarefas são prioridades. Esse é um processo essencial para gerenciamento do tempo tanto para trabalho quanto para estudos, pois também impede de se esquecer quais atividades precisam ser feitas.

Pode parecer pouco importante, mas muitas vezes é fácil se sabotar quando existem muitas tarefas para se fazer ao mesmo tempo. Em visualização de blocos pomodoros, fica mais fácil entender o que foi ou não terminado e se sentir desafiado a finalizar todo o plano de atividades.

Se interessou pelo assunto? Veja também 5 dicas de neurociência para melhorar seu desempenho nos estudos.

  • gestão de tempo
  • produtividade
  • técnica pomodoro