Agronegócio

Nathalia Aparecida Salvador
6 minutos de leitura
Escrito dia 15/06/2022


Conhecimento em gestão, ferramentas e tecnologia são competências necessárias para se destacar no agro, relata o professor Thiago Bernardino


O perfil do profissional do agronegócio passou por grandes mudanças a partir dos anos 2000, assim como o próprio mercado do agro – que foi revolucionado a partir de avanços tecnológicos significativos no país.

Hoje em dia, não é apenas o filho do dono de terras que busca formação e especialização nesta área. Homens e mulheres de diferentes realidades estão enxergando as oportunidades trazidas pelo agronegócio.

E a demanda por profissionais capacitados tem crescido, principalmente com o setor representando 27,4% do PIB nacional. Foi um aumento de 8,36% de 2020 para 2021.

Pensando nesse crescimento, surgem os questionamentos:

O que se espera hoje do profissional do agronegócio?

Quais as principais competências que o diferenciam?

E qual o futuro desse mercado?

Para responder a essas e outras perguntas, entrevistamos o economista agrícola e professor Thiago Bernardino, responsável pelo nosso curso Gestão de Custos da Cadeia Pecuária de Corte. Confira nosso artigo na íntegra.

 

Um breve histórico: o perfil do profissional do agronegócio

Ao pensarmos no profissional do agro da década de 50 no Brasil até, aproximadamente, o ano 2000, tradicionalmente ele era o filho do proprietário de terras que ia para a cidade estudar e que, quando conseguia, voltava às suas origens.

Hoje em dia é diferente.

Com a mudança no valor do real em relação ao dólar, o mercado internacional começou a investir no agronegócio brasileiro, o que trouxe renda para o campo.

Isso fez com que o agricultor percebesse a necessidade de comprar maquinário, investir em nutrição, defensivos, genética e, também, em profissionais capacitados que, com seu conhecimento, atendessem às suas necessidades de crescimento.

“De 2000 para cá realmente muda. As escolas foram se estruturando e as faculdades se modernizando. Há muita tecnologia e a venda no campo começa a crescer, com o agro ganhando uma importância muito grande”, fala Bernardino.

Hoje em dia são muitas as empresas e pessoas que enxergam no agro uma alternativa de investimento. E todos os avanços que aconteceram nesta área nos últimos anos trouxeram uma nova realidade para os seus profissionais.

“Espera-se que ele vá para a universidade, que agregue conhecimento – seja em um curso de especialização, graduação ou técnico. (...) Eu realmente tenho que me especializar, me profissionalizar”, afirma o professor.

Ainda há um número expressivo de estudantes que opta pelo agronegócio por já terem alguma ligação com a área. Mas muitos são aqueles que escolhem a profissão porque veem nela uma oportunidade de crescimento.

 

Profissional do agro - as competências necessárias

São inúmeros os cursos relacionados ao agronegócio oferecidos pelas instituições de ensino – seja nas áreas de agronomia, zootecnia, veterinária, economia, entre outras.

Entretanto, é necessário que o profissional do agronegócio tenha uma visão macro da cadeia da qual faz parte. Para isso, ele precisa – além de ter uma formação sólida – expandir seus conhecimentos.

“Eu preciso entender também sobre gestão, gestão da produção, economia, mercado, comercialização, sucessão familiar, gestão de pessoas. Então, é um multiempresário”, relata Bernardino.

Esse profissional necessita ter uma visão sistêmica do processo, pensando sempre no presente e no futuro. Também, é preciso que esteja aberto às ferramentas e tecnologias que fazem parte da dinâmica de mercado atual.

“Eu tenho que ter uma produção sustentável ambientalmente, socialmente e economicamente. Para eu conseguir todo esse processo – desde a produção respeitando o meio ambiente, desenvolvendo o meu funcionário e dando lucro – eu tenho que estar aberto à inovação, à tecnologia”, acrescenta o professor.

E isso significa estudar continuamente, se capacitando para lidar com tudo de novo que surgir em sua área de trabalho e, muitas vezes, fazendo parte inclusive dessa inovação – é isso que se espera de um profissional de destaque no segmento.

 

O impacto da tecnologia no dia a dia do profissional do agronegócio

“A tecnologia vai ajudar o profissional a otimizar o processo produtivo e diluir seu custo”, informa Bernardino. Ou seja, por mais que se utilize uma tecnologia de custo alto, se ela transforma o seu processo e o deixa rentável, se torna escalável.

“O produtor tem um dia muito intenso. Então, quando ele chegar em casa à noite para tomar uma decisão, ele tem que ter ao seu lado uma tecnologia que favoreça ou diminua suas horas trabalhadas, para que tome essa decisão com maior tranquilidade”, acrescenta.

Portanto, cabe a esses profissionais estarem atentos aos avanços em tecnologia que surgem – e se capacitar para dominá-los. É essa tecnologia que vai ajudar a diluir o impacto de seu trabalho – melhorando, inclusive, a lucratividade do negócio.

 

O agro é para mim? + Dicas para quem está começando a carreira

Gostar da temática “agronegócio” ou ter um vínculo com ela, para muitos, é o que os impulsiona a querer construir carreira nesta área. Entretanto, Thiago Bernardino destaca a importância de se inteirar sobre o assunto e estar aberto a ele.

“A gente precisa realmente estar aberto. Descobrir se o agro é para você vem do gosto, mas também vem de conhecer e conversar com pessoas que trabalham no setor, ler, se inteirar”, aponta.

O professor também destaca que quase todas as áreas podem se ligar de alguma forma ao setor agro – como o direito e até mesmo o TI (Tecnologias da Informação). “Muitas vezes, você nem vai pisar na terra”, fala.

Para quem está dando os primeiros passos na carreira, pedimos que Bernardino desse algumas dicas para a jornada no agronegócio.

“Tenha uma base sólida e conheça todos os setores. ‘Ah, eu quero trabalhar com finanças do agronegócio’. Ótimo. Primeiro você vai ter que conhecer todos os seguimentos e entender como é essa dinâmica – e, obviamente, conhecer o ferramental financeiro”, comenta o professor.

Ele também conta que é importante estudar muito, mesmo após a formação, pois o agro evolui rápido. Além disso, procurar sempre conversar com pessoas da área, entender sobre o que pode ou não fazer e quais são as tendências do agronegócio.

 

EXTRA: O futuro do agronegócio no Brasil

Instituições internacionais já apontaram que o Brasil é o país que mais vai contribuir com a produção de alimentos nos próximos 50 anos. Perguntamos ao professor se ele concorda e pedimos que nos desse um panorama sobre isso.

“Nosso país é sustentável. Precisamos, claro, evoluir alguns pontos em infraestrutura, mas, como somos um país continental, isso não acontece de uma hora para a outra”, comenta Bernardino.

O professor cita que temos instituições muito sérias em termos de regras, leis e normas, além de um código florestal forte.

Porém, Bernardino ressalta que é preciso decifrar a evolução, para que possamos crescer com mais tecnologia. “Quando eu falo tecnologia, falo em investir em recursos humanos, em pessoas, em capital humano, em infraestrutura”, destaca.

“Foi declarado agora na guerra que o Brasil tem um papel fundamental de produzir mais alimentos. Não podemos esquecer que isso passa também por reestruturação de tributação e acordos comerciais. O Brasil tem que estar apto, organizado, para atender a toda essa demanda da cadeia do consumidor” fala Bernardino.

Ele aponta que, como a população vai continuar crescendo, ela vai demandar muito de nosso país – e que para dar conta de tudo isso é preciso alinhar a capacitação de pessoas e os investimentos em infraestrutura e tecnologia. Dessa forma, o Brasil se torna uma locomotiva.

“Eu costumo dizer que o Brasil está para o agronegócio – também para especificamente outros setores como carne bovina e soja – como o Oriente Médio está para o petróleo. (...) Qualquer problema relacionado a alimento que a gente tenha no Brasil acaba afetando o mundo todo”, informa o professor e economista agrônomo.

E acrescenta que, para ser bem-sucedido em relação as nossas demandas e as do resto do mundo, nosso país precisa investir em capacitar pessoas e em conhecimento.

No momento, aqui na Plataforma Solution, são 23 os cursos online disponíveis voltados ao agronegócio. São cursos de aprimoramento em diferentes especialidades do agro, mas que também podem ser a porta der entrada para quem deseja ingressar neste mundo tão cheio de possibilidades.

Acesse aqui o curso gratuito de Introdução ao Agronegócio.

Aproveitamos para informar que de 20 a 24 de junho acontece a Semana do Agro, e que neste período todos os nossos cursos desta área estão com 30% de desconto.

O professor Thiago também é um dos diversos mentores da área de agronegócio do nosso Programa de Mentoria. Se você sente que precisa de um direcionamento mais específico na sua carreira, a mentoria pode ser uma ótima opção.

Trata-se de um processo personalizado e individualizado que vai direto na dor que interfere na sua evolução. É a experiência de mercado do mentor aplicada aos desafios individuais da sua jornada profissional.

Durante a Semana do Agro, a mentoria está com 15% de desconto. Clique aqui e conheça os mentores. Leia nosso artigo com tudo que você precisa saber antes de contratar uma mentoria.

 

Se você curtiu o artigo de hoje, não se esqueça de compartilhá-lo!

 

Foto: Freepik

icone de gota

Artigos Relacionados